Vereadoras defendem fim do horário comercial para estabelecimentos de rua em Curitiba

Uma proposta que começou a tramitar na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) quer mudar o horário de atendimento no comércio de rua da cidade. A iniciativa visa, segundo seus idealizadores, o fim do tradicional “horário comercial”, com objetivo de diminuir custos para empresários, contribuir para o fluxo na mobilidade urbana da capital e auxiliar o comércio de rua na “batalha” contra o e-commerce. A Tribuna abordou o assunto também em janeiro de 2020.

O projeto, de autoria das vereadoras Indiara Barbosa e Amália Tortato, ambas do Partido Novo, conta com apoio da Associação Comercial do Paraná (ACP) e está sendo analisado pela Procuradoria Jurídica da CMC.


“Essa mudança implicaria em um custo menor para o empresário curitibano, sem contar na qualidade de vida para o usuário do transporte público, já que descentralizaria o uso dos coletivos para horários diferentes. O congestionamento de automóveis também seria menor”, analisou o presidente da ACP, Camilo Turmina.

A Associação Comercial também analisa que a flexibilização traria maior competitividade para o comerciante de rua, já que estabelecimentos como shoppings já trabalham em horários estendidos. Além disso, segundo a ACP, a concorrência com o e-commerce também cresceria, já que esses estabelecimentos não trabalham em horário comercial.


Caso seja aprovada, a medida seria facultativa e dependerá da demanda e da vontade dos comerciantes, como é no caso de cidades como Rio de Janeiro e Florianópolis

por Luiz Kozak - Tribuna do Paraná



foto: divulgação