Suspeito de envolvimento em mega-assalto em Guarapuava presta depoimento e é liberado pela polícia

Segundo a Polícia Civil, homem de 25 anos é suspeito de fornecer aos criminosos armamento de uso exclusivo das Forças Armadas. Celular dele ficou retido para investigação.


A Polícia Civil liberou na noite desta segunda-feira (18) o suspeito de envolvimento no mega-assalto a uma empresa de valores em Guarapuava, na região central do Paraná.

O homem de 25 anos foi detido para averiguação durante a tarde e, cerca de cinco horas depois, após prestar depoimento, foi liberado. O celular dele ficou retido para investigação. A informação foi confirmada pelo secretário de Estado da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, à RPC Curitiba. Conforme a polícia, o homem detido tem 25 anos e é suspeito de fornecer à quadrilha armamento de uso exclusivo das Forças Armadas. As autoridades de segurança afirmam que o armamento usado no ataque provavelmente entrou no país por meio de contrabando.


O suspeito é do próprio município e foi encontrado no apartamento dele. O caso está sendo apurado pela Polícia Civil, e o material coletado até o momento será cruzado com impressões digitais nos bancos de dados da própria corporação.


Como foi o mega-assalto

O ataque aconteceu entre o fim da noite de domingo (17) e começo da madrugada de segunda-feira (18). De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), os assaltantes fugiram sem levar dinheiro. Segundo o relato de testemunhas, os suspeitos fizeram moradores reféns e fecharam os acessos da cidade. A secretaria informou ainda que doze veículos usados pelos bandidos foram localizados. Desse total, quatro deles foram queimados e usados como barreiras pelos criminosos.

Além disso, foram apreendidos dez armas de fogo, um carregador, munições, capacetes, coletes balísticos, balaclavas, facas, celulares e lanternas, um par de placas de veículo e R$ 1,4 mil em espécie.



Armas usadas no mega-assalto seriam de uso exclusivo as Forças Armadas — Foto: RPC Curitiba