Santa Catarina será contemplada com Resort Temático com direito a Castelos Medievais

Empreendimento terá vila temática e atrações com neve artificial; em Penha hotel temático se inspira na Amazônia.


Um novo empreendimento pretende recriar uma vila da época medieval, na região de Campo Alegre, no planalto Norte de Santa Catarina um resort temático que abrigará até dois castelos. O projeto foi anunciado pelo governo estadual, dentro das parcerias do programa InvesteSC, que estimula os investimentos privados no estado. Conforme a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o novo complexo temático na serra de Campo Alegre terá aporte de R$ 500 milhões dos investidores e geração de mais de 270 empregos diretos e indiretos. O resort medieval será construído numa área de quase 2 milhões de m² em meio à Mata Atlântica.

O empreendimento contará com dois hotéis, spa, observatório estelar e 16 lojas comerciais em uma vila medieval com vista para dois castelos, uma igreja e um centro corporativo com anfiteatro para eventos. No local ainda serão ofertadas atrações como esqui, patinação no gelo, trenó de montanha, tirolesa, arborismo, trilhas de caminhada e de mountain bike, entre outras atividades.

O projeto foi apresentado ao governo estadual na terça-feira pelos empreendedores. Sócio e um dos idealizadores do empreendimento, Hildemar Alves da Motta, disse na reunião que criou o resort temático para levar pessoas à região de Campo Alegre, oferecendo algo inovador e com grande apelo popular.

O terreno fica numa montanha com 1200 metros de altitude entre a Mata Atlântica e as florestas de araucária, com nascentes, cachoeiras e fauna e flora diversificadas. O local permite uma vista de 360 graus pela região, do nascer e do pôr do sol, e ideal para contemplação e observação estelar.

A proposta dos empreendedores é de um complexo sustentável. O resort prevê a preservação de 100% da mata nativa, com as construções feitas em área rochosa onde não há crescimento de árvores. O empreendimento ainda terá produção de energia eólica e o transporte dos hóspedes ocorrerá por meio de bondinhos elétricos terrestres.

O lixo orgânico gerado no resort será destinado à compostagem e os resíduos recicláveis destinados para entidades sociais de Campo Alegre. As madeiras usadas nas instalações são cernes de árvores caídas da própria floresta do empreendimento, retiradas com toda a legalidade exigida, segundo o idealizador.

A proposta dos empreendedores é de um complexo sustentável. O resort prevê a preservação de 100% da mata nativa, com as construções feitas em área rochosa onde não há crescimento de árvores. O empreendimento ainda terá produção de energia eólica e o transporte dos hóspedes ocorrerá por meio de bondinhos elétricos terrestres.

O lixo orgânico gerado no resort será destinado à compostagem e os resíduos recicláveis destinados para entidades sociais de Campo Alegre. As madeiras usadas nas instalações são cernes de árvores caídas da própria floresta do empreendimento, retiradas com toda a legalidade exigida, segundo o idealizador.


Enquanto isso a cidade de Penha irá receber um complexo temático com inspiração na Amazônia. A região da Amfri também terá um resort temático da Amazon Fun Parks, inspirado na floresta amazônica. O empreendimento traz o conceito de multipropriedade e já tem unidades das três torres sendo vendidas. A previsão é de iniciar as obras em outubro, com entrega até 2025.

A novidade ficará numa área de 90 mil m², a poucos minutos do Beto Carrero. Além do resort com técnicas construtivas sustentáveis, o projeto prevê espaço comercial e um parque de diversões com conceito inovador, além de centro esportivo, centro científico e spa.

Em Bom Jardim da Serra, o governo estadual prevê lançar em maio a licitação para obras do mirante da Serra do Rio do Rastro, que pretende transformar o local num complexo turístico com várias atrações. O estado recebeu duas propostas de construção, uma delas da Volare Empreendimentos, de Balneário Camboriú, que fez a passarela de vidro Sky Glass, em Canela (RS).

O projeto vencedor foi da Vallya Advisors, com estudo de arquitetura e engenharia de R$ 127 milhões. A estrutura prevê um complexo com mirante, bondinho, circuito de mountain bike, ponte de vidro, lago cênico, pista de patinação, estação de ski, tirolesa, centro gastronômico com quiosques e restaurantes, spa e hospedagem com casas de campo. A licitação vai escolher uma empresa para fazer a obra e gerir o complexo.


Investimento anunciado é de R$ 500 milhões em iniciativa privada (Foto: Divulgação)


(Foto: Divulgação Amazon Fun Parks)