top of page

Novo boletim da Defesa Civil aponta 28 mil pessoas atingidas pelas chuvas no Paraná


A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil divulgou nesta terça-feira (10) mais um boletim atualizado sobre a situação das fortes chuvas que ocorreram sobre boa parte do Paraná nos últimos dias. O número de pessoas afetadas subiu de 19 mil para pouco mais de 28 mil em 61 municípios paranaenses, de acordo com o órgão estadual, devido, principalmente, às cheias do Rio Iguaçu, na região de União da Vitória.

No total, 520 pessoas permanecem desalojadas (em casas de amigos ou parentes), enquanto outras 271 estão desabrigadas (temporariamente em abrigos públicos). Em Irati, onde ocorreu uma morte, uma pessoa desaparecida foi encontrada com vida. Outras sete pessoas de quatro cidades acabaram se ferindo em decorrência das complicações causadas pelas tempestades.

As equipes locais e estaduais da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná estão atendendo a população, com resgate daquelas em situação de risco e transporte para locais seguros. Em União da Vitória, que se tornou a cidade mais atingida do Estado devido à cheia de seis metros e meio do Rio Iguaçu, moradores tiveram que deixar as as suas casas. Desde o dia 2 de outubro, os alertas à população, assim como a mobilização junto às redes sociais e outros canais de comunicação, auxiliaram para que a informação sobre as chuvas chegassem a todos.

Depois de União da Vitória, os locais mais atingidos foram Rebouças (3.006 pessoas afetadas), Jardim Alegre (2.800), São Jorge d'Oeste (1.600), Peabiru (1.440), Cascavel (1.350), Ivaiporã (1.200), Jaboti (1.003), Grandes Rios (1.000), Mangueirinha (822), Curitiba (700), Paulo Frontin (600), Pinhão (599), Paula Freitas (520), Araucária (495) e Sulina (300). As regiões Central, Sul, Centro-Sul e Campos Gerais registraram os maiores estragos no final de semana, enquanto o Oeste, que chegou a registrar um tornado, teve os maiores registros na semana passada.

Nesta segunda-feira, a Defesa Civil enviou ajuda humanitária para Ivaiporã, Jardim Alegre, Rio Negro e União da Vitória. Foram distribuídos 820 colchões, 800 kits de dormitório, 305 kits de limpeza, 305 kits de higiene e 4.420 telhas. Com isso, desde o começo, foram enviados aos municípios atingidos mais de 22,5 mil telhas, além de 1.030 colchões, 950 kits de dormitório, 764 kits de higiene, 180 kits de limpeza e 484 cestas básicas.

Os municípios de Cascavel, Mangueirinha, São Jorge D'Oeste, Pinhão e Rio Negro decretaram situação de emergência homologado por decreto estadual. Paula Freitas, Ivaiporã, União da Vitória e Paulo Frontin também decretaram situação de emergência, mas ainda não tiveram o processo homologado pelo Estado.

ENERGIA ELÉTRICA – Equipes da Copel continuam trabalhando na reconstrução das redes elétricas atingidas pelo temporal. Ao longo da noite, foram religadas mais 10 mil unidades consumidoras. Ainda há, em todo o Paraná, 21 mil domicílios sem energia, dos quais 14 mil estão no município de Maringá e 3 mil em Sarandi. O número de postes quebrados chega a 239 na região.

O volume de chamados para atendimento foi reduzido a 277, o que ainda é considerado estado de alerta para a Copel; portanto, a empresa permanece com reforços mobilizados. Devido à complexidade dos serviços, que exigem a retirada de árvores de grande porte e a reconstrução de circuitos inteiros da rede, cada atendimento pode durar várias horas.

A comunicação sobre falta de luz pode ser feita pelo telefone, mas também por meio do aplicativo para celulares, pelo site da Copel e pelo número de WhatsApp (41) 3013-8973. Sem internet, o aviso ainda pode ser enviado à Copel por meio de SMS para o número 28593, escrevendo as letras “SL”, de “sem luz”, mais o número da unidade consumidora, que se encontra destacada no cabeçalho da conta de luz.


Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

bottom of page