Navio que fará a dragagem de areia para engorda da orla de Matinhos já está no Paraná

Na manhã deste sábado (25) será encaminhado ao Balneário de Caiobá, onde o governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciará o início do processo de dragagem.

Foto: Alessandro Vieira/SEDEST-PARANÁ

A draga Galileo Galilei, que será utilizada para o alargamento da faixa de areia da praia de Matinhos, chegou ao Litoral do Paraná na manhã desta sexta-feira (24). O aparelho ficará na região de Paranaguá e ao longo da manhã deste sábado (25) será encaminhado ao Balneário de Caiobá, onde o governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciará o início do processo de dragagem.


A dragagem é um dos processos das Obras de Recuperação da Orla de Matinhos, com investimentos de R$ 314,9 milhões. A obra é do Governo do Estado, através do Instituto Água e Terra (IAT), e executada pelo Consórcio Sambaqui, vencedor da licitação pública.

A obra vai resultar no alargamento da faixa de areia ao longo dos 6,3 km previstos no projeto, do Morro do Boi até o Balneário Flórida. O Litoral do Estado receberá um total de 2,7 milhões de metros cúbicos a mais de areia.


A primeira fase da dragagem será em Caiobá. Quando encerrada, a Linha de Recalque será reposicionada até o balneário Flórida para repetir o processo nos outros balneários de Matinhos. A finalização da dragagem está prevista para ocorrer até novembro deste ano.

Para realizar o processo, haverá conexão com as tubulações que estão sendo levadas para a areia desde o começo de abril. Em paralelo estão em execução os trabalhos ambientais da recuperação da área de restinga.


OBRAS – As obras na Orla de Matinhos preveem, além da engorda da faixa de areia por meio de aterro hidráulico, estruturas marítimas semirrígidas, canais de macrodrenagem e redes de microdrenagem, e revitalização urbanística da praia e da calçada com o plantio de árvores nativas. Também serão realizadas melhorias na pavimentação asfáltica e a recuperação de vias.


O objetivo é minimizar os impactos gerados pela combinação do desequilíbrio de sedimentos, ocupações mal planejadas e ressacas no Litoral. Essa combinação vem destruindo e comprometendo boa parte da infraestrutura urbana, turística e de lazer no município.



Foto: Alessandro Vieira/SEDEST-PARANÁ


GALILEO GALILEI – A draga autotransportadora de sucção e arrasto é de origem belga e esta é a primeira vez que o Paraná recebe uma embarcação com tanta tecnologia embarcada. Este tipo equipamento possui cisterna e propulsão própria, o que permite sua navegação até a chamada jazida de empréstimo, onde dragam a areia, depositam em sua cisterna e em seguida mandam o material pela tubulação que está submersa e permanece em posição dinâmica para recalcar a areia até a praia, onde os tratores farão o espalhamento na parte seca.


Na parte submersa, o próprio movimento das ondas se encarrega de fazer esse espalhamento da areia.

A draga tem capacidade de 18 mil metros cúbicos em sua cisterna, e pesa em torno de 31,2 mil toneladas. Seu comprimento total é de 166 metros, com potência de bomba de 3,4 mil KW ao arrastar e 14 mil KW ao descarregar.


O navio acomoda uma tripulação de 32 passageiros e foi construída em 2020. Ele também foi utilizado para as obras de dragagem e aterro hidráulico de Balneário Camboriú e várias outras obras de dragagem portuária em Santos, Rio de Janeiro e Itajaí.


MONITORAMENTO – Os trabalhos na Orla de Matinhos podem ser acompanhados em um link no site do IAT. São três câmeras de monitoramento já em funcionamento, em respeito à Lei Estadual nº 20.685/2021. Outras quatro ainda serão instaladas, totalizando sete aparelhos.




PUBLICIDADE:



PUBLICIDADE: