top of page

Mais 580 cestas básicas chegam a União da Vitória; Estado reforça suporte em regiões mais críticas


O Governo do Estado está ampliando ainda mais o efetivo das equipes da Defesa Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros na região Sul do Estado, que até o momento foi a mais afetada pelas fortes chuvas. Para União da Vitória, onde o nível do Rio Iguaçu continua acima dos 8 metros, mais 580 cestas básicas foram enviadas nesta quarta-feira (18). Elas se somam a outras 670 cestas já encaminhadas, totalizando 1.250 unidades contendo alimentos, parte já entregue nos últimos dias na cidade. Uma nova carga está sendo preparada para ser destinada até sexta-feira.

A cidade da região Sul é a mais afetada até o momento pelos alagamentos causados pelas chuvas dos últimos dias. O boletim mais recente da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil aponta que quase 110 mil pessoas de 80 municípios paranaenses foram de alguma forma impactados pelas tempestades, enchentes e alagamentos.

Deste total, 12.019 pessoas estão desalojadas (abrigadas em casas de parentes ou conhecidos), enquanto outras 1.725 permanecem desabrigadas (temporariamente em abrigos públicos).

O Governo do Estado também transferiu 22 moradores de São Mateus do Sul, 38 de União da Vitória e 16 de Rio Negro para hotéis e pousadas. São pessoas que fazem parte do grupo prioritário de atendimento, composto por idosos, pessoas com deficiência ou problemas de mobilidade, gestantes ou em alguma outra situação de vulnerabilidade.

Até o momento, 21 municípios tiveram decretos de situação de emergência homologados pelo Governo do Estado. São eles: Cascavel, Dois Vizinhos, Ivaiporã, Jardim Alegre, Mangueirinha, Nova Prata do Iguaçu, Paula Freitas, Paulo Frontin, Peabiru, Pinhão, Pitanga, Porto Amazonas, Prudentópolis, Rebouças, Rio Azul, Rio Negro, Roncador, Santa Izabel do Oeste, São Jorge do Oeste, São Mateus do Sul e União da Vitória. A cidade de Mallet também emitiu um decreto municipal e o processo está em análise.

AJUDA HUMANITÁRIA - Além das 580 novas cestas básicas que chegaram à União da Vitória, outras 3.571 já haviam sido enviadas pela Defesa Civil aos municípios de acordo com as demandas apresentadas pelas respectivas prefeituras. Também compõem a ajuda humanitária 2.290 kits dormitórios, 2.789 colchões, 1.479 kits de higiene, 935 kits de limpeza e 58.140 telhas. Cerca de 29 toneladas de alimentos também foram enviadas pelas unidades da Ceasa Paraná diretamente aos municípios.

Além das doações diretas do Governo do Estado, a Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba enviou 9 mil peças de roupa, 100 litros de água sanitária e 50 quilos de sabão em pó. Em parceria com a iniciativa privada, também foram encaminhados 8 mil itens de higiene pelo Boticário e 8 toneladas de carne de frango serão disponibilizadas pelas cooperativas agrícolas Copacol, C.Vale, Copavel e Lar.

ESTRADAS - Para dar suporte aos municípios, o governador Carlos Massa Ratinho Junior também anunciou R$ 30 milhões em créditos emergenciais para serem usados principalmente na recuperação de estradas rurais. Ele também disse que o Estado oferecerá, por meio do programa Paraná Recupera, empréstimos sem juros e com carência de dois a três anos para que empresas de micro, pequeno e médio porte que tenham tido suas atividades prejudicadas possam retomar os seus negócios o mais rápido possível.

EFETIVO – Além do suporte financeiro e material, o Governo reforçou a presença física das equipes estaduais junto à população afetada. Em União da Vitória, o efetivo do Corpo de Bombeiros dobrou, de 20 para 40 soldados, com reforços deslocados de Curitiba, Região Metropolitana, Litoral e Irati, com profissionais usando viaturas, barcos e jet skis nas operações.

“O Corpo de Bombeiros está ampliando os serviços prestados à comunidade, principalmente na região da União da Vitória, Rio Negro e São Mateus do Sul, com equipes mobilizadas para ampliar o atendimento nesse momento crítico, ajudando no resgate e encaminhamento das pessoas para abrigos, assim como no resgate de animais”, garantiu o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná, coronel Vasco Figueiredo.

De acordo com o secretário estadual da Segurança Pública, coronel Hudson Teixeira, além de prestar suporte aos bombeiros e Defesa Civil, os policiais militares têm feito patrulhamentos nas regiões alagadas para coibir eventuais crimes.

“Desde o primeiro momento, a Polícia Militar tem feito o patrulhamento aquático com barcos para evitar saques e furtos e apoiar os bombeiros no atendimento à população. Como a água não diminuiu, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jefferson Silva, está reforçando a estrutura com o envio de mais três embarcações para que o patrulhamento seja mantido 24 horas por dia”, informou Teixeira.


Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

bottom of page