Hackers atacam site da Urbs um dia após reajuste da passagem de ônibus em Curitiba

Um dia após entrar em vigor o reajuste da passagem de ônibus em Curitiba, o site da Urbanização de Curitiba (Urbs) sofreu um ataque hacker. Nesta quarta (2), o site ficou instável durante todo o dia. Em nota encaminhada à imprensa, a Urbs confirmou o ataque, mas garantiu que não houve invasão e nem roubo de dados. De acordo com a Urbs, o sistema de bilhetagem eletrônica está preservado e funcionando normalmente.

A tarifa de ônibus foi reajustada nesta última terça (01) de R$ 4,50 para R$ 5,50. O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, alegou nesta quarta (2) em audiência pública na Câmara Municipal de Curitiba, que o aumento de custos, principalmente dos combustíveis, justifica o aumento da tarifa de ônibus da Capital paranaense, que entrou em vigor ontem. Vereadores criticaram o reajuste de 22%, aplicado no momento em que muitos curitibanos perderam o emprego e tiveram queda de renda por causa da pandemia da Covid-19. E questionaram os recursos repassados às empresas durante a pandemia e o subsídio pago pela prefeitura através da tarifa técnica de R$ 6,36. “O que motivou primeiramente o reajuste da tarifa de ônibus em Curitiba? Foram justamente os custos, (...) a tarifa social congelada desde março de 2019. E esses custos vêm aumentando, principalmente o diesel”, afirmou. “Nós tivemos um aumento de 76% no óleo diesel”, argumentou. Segundo ele, componentes como os pneus, também aumentaram 42,79%”. Em salários e benefícios, a recomposição foi de 22%.

portal bem paraná