Câmara Municipal de Curitiba pede ações para boletins de ocorrência e contra “golpe do delivery”

A primeira indicação ao Executivo é de Indiara Barbosa. A outra, contra os falsos entregadores, partiu de Marcelo Fachinello.


A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou, nesta segunda-feira (9), indicações ao Poder Executivo voltadas à segurança pública e a outras áreas da cidade. Uma delas, da vereadora Indiara Barbosa (Novo) sugere a criação de grupo de estudos para discutir a integração dos boletins de ocorrência da Guarda Municipal com as polícias Civil e Militar do Paraná, a exemplo do que já ocorre em outras cidades da Região Metropolitana (205.00158.2022).

Conforme a vereadora, a demanda foi apresentada por guardas municipais de Curitiba. Indiara também explicou que os sistemas das polícias Civil e Militar do Paraná já são integrados. No caso da Guarda Municipal, uma parte do processo ainda é manual, “o que acaba atrasando o trabalho deles”. A ideia, reforçou a autora da indicação ao Executivo, traria “eficiência à segurança pública do município”, já que a otimização do sistema permitiria que os servidores tivessem mais tempo para os trabalhos de campo. A criação do grupo de estudos, explicou Indiara, é necessária porque a medida pode representar a criação de despesas ao município.

Ainda no radar da segurança pública, proposição de Marcelo Fachinello (PSC), que também será encaminhada ao Poder Executivo, alerta para o chamado “golpe do delivery”, praticado por falsos entregadores de aplicativos (205.00155.2022). Ele sugere a promoção de ação conjunta, reunindo efetivos da Guarda Municipal e das polícias Civil e Militar, nos moldes da Operação Bad Delivery, realizada em São Paulo (SP).

“Recentemente, um caso de latrocínio cometido em São Paulo adquiriu notoriedade nacional em razão da brutalidade da ação, que vitimou um jovem de 20 anos de idade. O criminoso em questão utilizava uma mochila de caixa de entrega para se disfarçar [e evitar abordagens policiais]”, justifica a proposição. “Em resposta à atuação desse tipo de criminalidade, a Guarda Municipal local, em conjunto com a Polícia Militar e a Polícia Civil do Estado de São Paulo, anunciou uma grande operação conjunta, denominada Bad Delivery, com o objetivo de identificar e capturar criminosos que se passam por entregadores de aplicativos para a prática de crimes”. Votadas em turno único e de maneira simbólica (sem o registro no painel eletrônico), as indicações são uma manifestação legal da Câmara, referendadas em plenário, mas não são impositivas. Ou seja, cabe ao Executivo adotar, ou não, as medidas sugeridas pelos vereadores.

Outras discussões João da 5 Irmãos (União) quer levar a mensagem de conscientização ambiental transmitida pela Família Folhas, revitalizada em meio às comemorações dos 329 anos de Curitiba, à periferia da capital (205.00156.2022). A proposta é que as atividades também cheguem aos clubes de mães e demais associações localizadas nos bairros da cidade. Muitas pessoas, justificou o autor, “não recebem essa informação” sobre a reciclagem e outras questões úteis no dia a dia de todos nós. O Executivo ainda receberá sugestão sobre a Banda Lyra (205.00157.2022). O pedido, apresentado por Serginho do Posto (União), é para que o município dê início aos procedimentos administrativos necessários para o reconhecimento do grupo como patrimônio cultural de Curitiba.

Para o vereador, a Banda Lyra, ao longo dos 30 anos de atividades, vem se renovando e atualizando, fazendo com que “a música e a cultura sejam levadas aos bairros”. “Ela está muito envolvida com a sociedade curitibana”, finalizou Serginho. Os vereadores também acataram, nesta manhã, um outro tipo de indicação. É que a ideia, neste caso, é interna, direcionada à Mesa Diretora. O autor, Jornalista Márcio Barros (PSD), reforçou pedido para que a CMC possa contar, a exemplo do que já ocorre na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep), com um posto avançado da Defensoria Pública (204.00010.2022). Ele lembrou de sugestão proposta por Dalton Borba (PDT), aprovada em outubro do ano passado (203.00516.2021). No debate da proposição, Fachinello e o primeiro-vice-presidente da Casa, Alexandre Leprevost (Solidariedade), afirmaram que a possibilidade já vem sendo discutida. Em apoio à medida, Mauro Ignácio (União) lembrou da indicação interna, de março passado, para a implantação do Procon Legislativo (204.00006.2022). As sessões plenárias começam às 9 horas e têm transmissão ao vivo pelos canais da CMC no YouTube, no Facebook e no Twitter.

Reprodução: Câmara Municipal de Curitiba



Foto: Carlos Costa/CMC