Bolsonaro: 'Por que a Pfizer pediu sigilo de 50 anos?'

Presidente diz não ter comprado as vacinas antes pelo fato de o remédio, segundo ele, 'não ter comprovação científica'



Foto: Reprodução


Em entrevista ao Flow Podcast, nesta segunda-feira (8/8), Bolsonaro afirmou que não comprou vacinas antes pelo fato de o "medicamento não ter comprovação científica (em 2020)" e que a "Pfizer não se responsabilizava pelos efeitos colaterais".


E prosseguiu afirmando que a farmacêutica americana "pediu sigilo de 70, 50 anos. Por que sigilo de 50 anos? Por que você não pode ver o que que está acontecendo ali?".


Indignado


Em seguida, Bolsonaro afirmou que "por um voto" o presidente da CPI da Pandemia, o senador Omar Aziz (PSD-AM), "deixou de ser indiciado por pedofilia". E que toda sua família teria sido "presa por desviar R$ 270 milhões", no Amazonas.


Sobre o também senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), um dos participantes contra a política adotada pelo governo na pandemia, foi dito que ele "saltita pra lá, saltita pra cá". E que, em 2020, o parlamentar fez uma Live dizendo que iria condecorar os médicos que receitassem tratamento precoce, mas que, segundo o presidente, mudou de posição: "para ficar contra mim, com toda certeza".


As reclamações também avançaram para o relatório feito por Renan Calheiros (MDB-AL), que acusava formalmente o presidente de nove crimes, entre eles, o de charlatanismo. "Por falar de tratamento para malária e para cegueira dos rios, passei a ser charlatão", disse Bolsonaro.


Entre as medicações usadas para tratar cegueira dos rios está a Ivermectina; e a Hidroxicloroquina é usada para o combate a malária. Nenhum dos dois têm eficácia comprovada contra o Coronavírus.

por: Estado de Minas


PUBLICIDADE: